terça-feira, junho 23, 2015

Do tacto e do olfacto e da audição e do paladar

Ama-me. Mas, por favor, como se fosses cega.

Todo o abraço apertado é cego

Nada receies, vem cá. Na verdade, é até bastante simples. Abraça-me sempre forte, muito forte, e, assim, não terei como ver imperfeições em ti.

sábado, maio 16, 2015

Pé descalço

Quando não temos para onde caminhar, para que é que queremos sapatos?...

sexta-feira, março 21, 2014

Do difícil que é ser

Não quero ser feliz.
Quero estar feliz.

segunda-feira, março 10, 2014

Bombeando...

Tenho um coração grande. Nele vivem gente boa e sentimentos genuínos.
Quando ele parar, não tenho nada.

sexta-feira, junho 14, 2013

Afinal, este ano ainda não havia postado...

«Pupu de bisalho para os tansos que estão a trabalhar à hora que escrevo.» É ou não é, mesmo, o post scriptum mais engraçado e estúpido que já vi? É. Esta semana, é.

segunda-feira, dezembro 03, 2012

Rasparta

Raspa.
Raspa e raspa.
Raspa, raspa, raspa e raspa.
Raspa, raspa, raspa, raspa, raspa e raspa.
Raspa, raspa e... não sai nada.

segunda-feira, agosto 13, 2012

Das relações

Estado civil: solteiro (de novo).
Devastado! Não é que a nossa relação fosse longa (17 lindos dias!), mas na verdade a entrega foi quase total. Agora, agora acabou-se. Sem, sequer, um "a culpa não é tua, eu é que não estou bem".
Relações intensas, sérias e duradouras? Só em 2016.
P.S. - Sinto um enorme vazio em mim. A esta hora, é capaz de ser fome.

quinta-feira, junho 21, 2012

Puras Expressões Puras II

«Fuck, Ronaldo, come on, you're free to kick me!»

Puras Expressões Puras I

«Shit, I love u!»

terça-feira, junho 05, 2012

sexta-feira, junho 01, 2012

Tales from a taxi driver I've seen once

O problema nem são as peúgas brancas, bem esticadas e com aspecto de terem menos de uma semana de uso. O problema é o que poderá vir atrás dessas peúgas, o que elas podem representar!...
É a vida.

terça-feira, maio 29, 2012

Até toco acordeão, se preciso for...

Hey, menina, não me apontes os teus defeitos, o que melhoravas em ti, o que não gostas de ver no teu espelho!
Aquilo de que gosto, não me cansarei de deleitar-me a olhar, vezes sem conta, estejas tu à vontade ou deixando-te eu, muito pacientemente, à vontade contigo própria. Porque gosto. E partilho.
Perante o que eu não gostar, se eu não gostar, calmamente fecharei os olhos e deixarei que sejam os meus lábios, em beijos suaves e sucessivos, a poder reportar o quanto podes, mesmo, ser bonita.
Vá lá, deixa-me ser cego em ti.

sexta-feira, fevereiro 10, 2012

In & out

terça-feira, outubro 18, 2011

Mau

"Não há noite em que vá para a cama sem chorar um bocadinho..."

domingo, outubro 02, 2011

Então, até um dia destes...

... foram as tuas últimas palavras, molhadas em lágrimas, antes de desligares o telefone. Sem segunda oportunidade.
Nunca saberás o quanto me custou. Nem interessa. A ti custa mais, muito mais. Oxalá teu coracãozinho lindo sobreviva, sem deixar-se estragar pelo meu toque que destroça. *

terça-feira, agosto 30, 2011

O Aniquilador

FUCK!!! Mais uma vítima. O elefante louco continua a dançar freneticamente naquela mesma loja SPAL, a da esquina. Vasos dinastia Ming transformam-se em minúsculas mi(n)galhas, nem sobrando, qual repasto, para o mais esfomeado dos faquires. É a morte dos sonhos, de outrem. Sempre de outrem. Que a Fénix nos ajude: molestados a sararem as feridas; bestas duras a encontrarem a redenção num longo caminho  farto de castigos, pois merecem padecer. À volta, sempre à volta, a serra atalha momentos de alegria que, invariavelmente, acabam por fazer doer, outrem. Entre voltas e reviravoltas, não há volta a dar. Fugi. Cão, que lambeste, mordeste e fugiste. Cão, o mau.

terça-feira, julho 19, 2011

The Be(a)st

Coração, moela e bofe, a besta esmigalha tudo, tudo. Sem pingo de misericórdia ou suor. Nos píncaros da sua especial bestialidade, the man arrasa tudo, arrasando-se.

quinta-feira, julho 14, 2011

Roda, roda, roda

Aparafusando. -me.